29 / Setembro / 2015

O que você precisa saber antes de optar pela radiologia digital

radiologia

A radiologia digital vem dominando o mercado de medicina diagnóstica nos últimos anos. E não é para menos! A técnica traz diversas vantagens tanto para o hospital quanto para o paciente, implicando em maior precisão diagnóstica e em redução de custos.

Se você anda considerando optar por essa técnica no seu hospital, mas ainda não está totalmente convencido ou não sabe por onde começar, esse post é para você! Vamos tirar todas as suas dúvidas sobre a radiologia digital e explicar tudo o que você precisa saber antes de aderir a essa tecnologia. Confira!

O que é a radiologia digital?

Um processo no qual o filme convencional é substituído por uma película especial, sensível aos raios-x, que é lida por equipamento moderno de computação, o que proporciona uma imagem de alta resolução.

Como a radiologia digital funciona?

Ao invés de os raios-x serem absorvidos pelo filme radiográfico, como na radiologia convencional, na radiologia digital eles são absorvidos por um sensor digital composto por uma placa de circuitos sensível à radiação. Essa placa gera então sinais elétricos que são transmitidos ao computador e processados de modo a gerar uma imagem.


>>> Quais as vantagens da radiologia digital para o hospital?


Sustentabilidade

Sem o consumo de filmes radiográficos e reveladores químicos, a radiologia digital gera menos impacto ambiental, sendo menos poluente e mais ecologicamente correta do que a radiologia convencional.

Agilidade

Assim que captada pelo sensor digital, a imagem é automaticamente encaminhada para o computador e gerada na tela em segundos, não sendo necessário esperar pelo processo de revelação. Uma vez no computador, a imagem pode ser ajustada de acordo com as necessidades do radiologista, com correção de contraste por exemplo, e comparadas facilmente aos exames anteriores, gerando menos dúvidas no diagnóstico e acelerando a emissão do laudo. Além disso, o sistema digital associa a imagem diretamente ao prontuário eletrônico do paciente, permitindo um faturamento automático.

Confiabilidade

O sistema de radiologia digital também é mais confiável, não havendo o risco de perda do filme durante o transporte ou no armazenamento, uma vez que o arquivo é automaticamente adicionado ao prontuário do paciente seguindo o padrão DICOM (Digital Imaging and Communications in Medicine), criado em 1983 para padronizar todas as imagens médicas em um formato eletrônico único. O DICOM garante que não haverá qualquer incompatibilidade entre software e imagem, independente do hospital, do país ou do equipamento em que o exame foi feito.

Economia

Além de reduzir o consumo de materiais, já que não há custo com filmes e reveladores químicos, não há mais todo o estresse devido a erros de penetração, reduzindo a necessidade de repetição de exames. Nesse ponto, é eliminada a fase de armazenamento dos filmes, com economia significativa de tempo e esforço. E se cada exame é executado mais rapidamente, um maior número de pacientes pode ser visto em um mesmo dia sem qualquer aumento no gasto de recursos materiais ou humanos. Vale ressaltar que, sendo o processo totalmente digital é possível disponibilizar os exames em CDs, facilitando o arquivamento das imagens para eventuais consultas.

Acessibilidade e mobilidade

As imagens digitais podem ser acessadas instantaneamente por todos os profissionais envolvidos no cuidado do paciente, de qualquer aparelho eletrônico — computador, tablet ou celular — com conexão à internet. Dessa forma, mesmo se algum profissional estiver fora do hospital, o diagnóstico pode ser feito e o tratamento iniciado.

Flexibilidade de processamento

Com o filme, a imagem gerada não podia ser alterada, mas agora com os softwares de processamento a imagem digital pode ser processada de diversas formas para facilitar e agilizar o diagnóstico, aumentando sua precisão. É possível ajustar o contraste, dar zoom em detalhes, reconstruir a imagem em 3D/4D, calcular volume, analisar vasos, realizar uma endoscopia virtual, exibir os dados em planos ortogonais e oblíquos e muito mais.

>>> Quais as vantagens da radiologia digital para o paciente?

Menos radiação

Uma das grandes vantagens da radiologia digital é que é necessário uma menor quantidade de radiação para gerar uma imagem de alta resolução. Além de que a chance do exame ter que ser repetido é praticamente inexistente com a técnica.

Diagnóstico certeiro

Erros diagnósticos são os mais comuns nos serviços de saúde mas como a imagem digital apresenta uma resolução maior e pode ser processada de forma a auxiliar o radiologista no diagnóstico, esses erros se tornam menos frequentes. Dessa forma, oferece-se um diagnóstico mais acurado ao paciente.

Diagnóstico mais rápido

Com a redução do tempo de espera entre o pedido do exame e a emissão do laudo, a radiologia digital permite que o paciente receba o tratamento adequado muito mais rapidamente, aumentando a chance de um diagnóstico cada vez mais precoce.

>>> Quais as mudanças necessárias no hospital para a incorporação da radiologia digital?

Não basta apenas comprar os equipamentos de radiografias digitais para obter todos os seus benefícios da noite para o dia. Além de envolver toda a equipe do hospital nas mudanças e conscientizá-los das vantagens trazidas pelo novo sistema, é necessário que o hospital invista também em bons softwares, adotando um sistema de comunicação e arquivamento de imagens (PACS), integrando-o ao Radiology Information System (RIS) e oferecendo ao radiologista um visualizador universal, com diversas ferramentas de processamento de imagem. O PACS/RIS oferece digitalização, pós-processamento, armazenamento eletrônico e distribuição de imagens obtidas no setor de medicina diagnóstica para o restante do hospital, otimizando a comunicação e o fluxo de trabalho entre os diversos profissionais de saúde envolvidos no cuidado do paciente e permitindo a utilização das imagens para a telerradiologia.

A mudança para a radiologia digital deve, portanto, ser entendida como um processo que demanda paciência e esforço, mas que traz resultados excelentes quando completo. No primeiro ano, é esperada uma transição de 70% da radiologia convencional para a digital e no segundo ano de 90%. Durante esse período deve-se também buscar incorporar as radiografias antigas, reveladas em filmes, aos arquivos digitais de modo a garantir que elas estarão facilmente disponíveis quando necessário e não demandarão a coexistência de ambos os sistemas de armazenamento no futuro e a mobilização de funcionários para procurar e transportar os filmes.