08 / Setembro / 2020

8 resultados da mobilidade do PEP para a gestão hospitalar e o paciente

8 resultados da mobilidade do PEP para a gestão hospitalar e o paciente

Possibilidade de reunir dados de forma integrada e acessá-los a qualquer hora, de qualquer lugar, traz mais segurança ao diagnóstico e otimiza a atuação das equipes envolvidas no cuidado

Seja pela necessidade de otimizar a gestão, seja pela demanda do próprio usuário por abordagens diferenciadas e mais conectadas, a Saúde Digital chega a um número cada vez maior de organizações. Entre as variadas possibilidades que a tecnologia traz nesse contexto estão os aplicativos móveis que permitem acesso direto ao Prontuário Eletrônico do Paciente, o PEP. Essa mobilidade, por consequência, traz melhorias não apenas à gestão hospitalar, mas também à gestão do cuidado integral ao paciente.

Breno Figueiredo Gomes, clínico geral da Rede Mater Dei de Saúde e professor do curso de medicina da UniBH, detalha oito resultados alcançados com amobilidade do prontuário eletrônico, tanto para a equipe médica quanto para os pacientes. Conheça cada um deles:

1.Visualização de exames de imagem e prescrições ativas do paciente. Para Gomes, essa possibilidade traz firmeza à decisão do corpo médico. "A discussão com residentes e colegas que estejam no plantão também se torna bem mais produtiva e segura", aponta.

2.Gestão do fluxo de trabalho das equipes médicas. Gomes ressalta que o sistema de Saúde atual apresenta falhas de comunicação entre especialidades - gargalo que é otimizado quando há uma plataforma única para armazenagem de dados do paciente. "O acesso centralizado e fácil a todas as informações gera mais segurança para os processos envolvidos na assistência, tornando o cuidado muito mais seguro e efetivo, o que também permite continuidade no fluxo do cuidado.

3.Checagem da lista de novos pacientes durante um plantão. Durante a passagem de plantão, pode ocorrer a indisponibilidade do acesso a computadores e, para esses casos, Gomes aponta a mobilidade do PEP como uma aliada.

4.Acesso a informações clínicas para interconsultas. Aqui, a mobilidade pode auxiliar tanto em situações em que há troca entre especialistas de diferentes áreas quanto entre médicos que atuam na mesma especialidade. Em ambos os casos, os profissionais podem, por exemplo, trocar informações com a intenção de trazer melhores diagnóstico e tratamentos. "Além de facilitar o acesso para dar uma opinião, a tecnologia ainda nos dá respaldo para as conversas com o paciente e familiares quando estamos fora do hospital", ressalta Gomes.

O médico salienta que a mobilidade também permite a verificação de exames e evoluções de tratamento com facilidade, o que proporciona fidelidade à informação, bem como a "sensação de eficiência para pacientes e familiares. Inclusive quando fazemos isso dentro do consultório, por exemplo."

  • Para o paciente

5.Ganho de assertividade no diagnóstico. A possibilidade de acessar o prontuário amplia a capacidade de ação do médico em todo e qualquer caso. "O acesso a informação real e direta gera segurança na condução. Assim, fica mais fácil para o médico e mais seguro para o paciente", pontua Gomes.

6.Segurança em caso de atendimentos remotos. Em especial durante a pandemia, os atendimentos móveis, via telemedicina, tornaram-se mais corriqueiros. Assim, o acesso a dados na palma da mão permite otimizar diagnósticos e promove uma tomada de decisão assertiva, o que promove a tão necessária segurança do paciente mesmo que a distância.

7.Facilidade no acesso a todas as informações de saúde. Esse é um dos principais pontos que o acesso móvel ao prontuário eletrônico traz para o paciente. Ao unificar as informações, é possível ter literalmente todos os dados do paciente "disponíveis em qualquer local e a qualquer hora", ressalta Gomes. Para o especialista, isso traz um ganho extra se considerado que "dados têm um poder gigantesco na geração de conhecimento", seja para otimizar a análise da Saúde, seja para trazer os melhores insights e promover melhorias no atendimento.

8.Estímulo ao autocuidado guiado. Para Gomes, a mobilidade permite gerar valor real e maior persuasão para o engajamento do paciente com sua própria saúde. Isso inclui aspectos que vão desde a garantia de que o indivíduo está consumindo o medicamento de maneira correta até o estímulo à adoção de hábitos mais saudáveis, que influenciam a qualidade de vida além do diagnóstico. "A partir do momento em que geramos dados fidedignos, criamos informação útil, também, para o paciente. Assim, as condutas tornam-se muito mais embasadas e individualizadas”, destaca o especialista.

O especialista conclui que, em tempos cada vez mais digitais, garantir a informação sobre o paciente na palma da mão para os profissionais que lidam com o cuidado será um diferencial tanto para o diagnóstico mais assertivo quanto para a eficiência da administração hospitalar. A soma de qualidade na assistência e na gestão será, então, responsável por manter o equilíbrio necessário para a sustentabilidade da organização de Saúde.

eBook: Prontuário Eletrônico do Cidadão e o impacto na gestão da Saúde municipal

eBook: Prontuário Eletrônico do Cidadão e o impacto na gestão da Saúde municipal

Baixar eBook