Uso de inteligência artificial e machine learning no prontuário eletrônico para suporte à decisão clínica

Saiba como potencializar a decisão clínica com IA e machine learning no prontuário eletrônico, promovendo cuidados de saúde mais precisos e eficientes.

IA e machine learning em prontuário eletrônico

Você já parou para imaginar como a inteligência artificial e o machine learning estão transformando os hospitais com o uso inovador do prontuário eletrônico? Parece até roteiro de cinema, mas essa revolução já é uma realidade e está aprimorando consideravelmente a tomada de decisões clínicas. Leia o artigo e confira tudo! 

Ao longo do texto, vamos explorar em detalhes como a IA e o ML estão sendo aplicados de forma inteligente, os desafios enfrentados, os componentes essenciais envolvidos e como essa solução revolucionária está sendo implantada. Continue a leitura e descubra como a tecnologia moldará o futuro da saúde

 

IA e machine learning no contexto do prontuário eletrônico

Talvez você já tenha escutado bastante sobre Inteligência Artificial (IA) e Aprendizado de Máquina (ML), mas você sabe o que esses termos realmente significam? E mais importante, você entende como eles integram o prontuário eletrônico de clínicas e hospitais?

A seguir, vamos desvendar os segredos dessas ferramentas tecnológicas, explorando suas definições, aplicações e impactos no setor de saúde. Mas, antes de tudo, é importante explicar o significado de cada um dos termos. Confira!

 

Entenda o que é Inteligência Artificial e Machine Learning 

A Inteligência Artificial (IA) deixou de ser algo distante e se tornou uma ferramenta presente em várias áreas, como a saúde. No Brasil, por exemplo, estudos do Banco Mundial já revelam que a adoção da IA para análise de prontuários eletrônicos pode resultar em uma otimização de custos de até R$ 22 bilhões.

A tecnologia baseada em IA busca criar sistemas de tarefas inteligentes, analíticas, complexas e com uma quantidade elevada de dados. Ou seja, a Inteligência Artificial imita habilidades humanas, como síntese, organização e tomada de decisões. Além disso, a IA processa informações e identifica padrões.

Já o Machine Learning (aprendizado de máquina) trata-se de uma subárea da Inteligência Artificial (IA) que se dedica a desenvolver modelos capazes de aprender a partir de uma infinidade de dados. Neste caso, não há necessidade de uma programação totalmente estruturada.

Esses modelos identificam padrões, fazem previsões e tomam decisões com base nos bancos de dados disponíveis. Com abordagem flexível e adaptável, eles ainda possibilitam a resolução de problemas complexos e a obtenção de insights, desde recomendações personalizadas até diagnósticos médicos avançados.

O papel da IA e do machine learning no suporte à decisão clínica

De acordo com relatório da Dell EMC e IDC, os dados de saúde aumentam em 48% ao ano. Com o crescente volume de dados nesta área, a Machine Learning e a IA no suporte à decisão clínica apresentam papel importante na análise de dados dos pacientes e geração de novas descobertas e hipóteses.

Além disso, os profissionais de saúde ao utilizar essas soluções aprimoram continuamente as recomendações. Com isso, eles são capazes de promover um processo de melhoria mais integrado, contínuo e sistêmico na tomada de decisão clínica, o que reduz as possibilidades de variações injustificadas.

O uso de uma solução de CDS para diagnóstico também demonstra redução de 19% em erros de diagnóstico por radiologistas, levando à economia de custos com testes desnecessários. Ao filtrar dados e fornecer informações relevantes, as Soluções de Apoio à Decisão Clínica ainda evitam erros médicos e reduzem custos. 

Benefícios da IA e do machine learning no prontuário eletrônico

A Inteligência Artificial (IA) e o Machine Learning (aprendizado de máquina) trazem uma série de benefícios significativos quando aplicados no prontuário eletrônico. A seguir, confira quais são as vantagens dessas tecnologias no sistema de registro hospitalar e clínico:

  • Personalização do tratamento: Com a análise inteligente dos dados do prontuário eletrônico, é possível reconhecer padrões individuais de saúde e características únicas de cada paciente. Isso permite a personalização dos planos de tratamento, adaptando-os às necessidades específicas de cada pessoa.

  • Redução de erros e otimização de recursos: A IA e o Machine Learning ajudam a identificar erros e inconsistências nos prontuários eletrônicos, evitando duplicações de exames e tratamentos desnecessários. Além disso, essas tecnologias podem otimizar a alocação de recursos e reduzir desperdícios.

  • Agilidade e eficiência no atendimento: Com a automação de tarefas rotineiras e a análise rápida dos dados, a IA e o Machine Learning podem acelerar o processo de atendimento médico. Isso permite uma resposta mais rápida, agilizando o fluxo de trabalho dos profissionais e melhorando a experiência geral do paciente.

Desafios e questões éticas no uso da IA e do machine learning no prontuário eletrônico

A aplicação da Inteligência Artificial (IA) e do ML (Machine Learning) nos prontuários eletrônicos apresenta desafios e questões éticas. Um dos principais desafios está relacionado à qualidade e confiabilidade dos dados utilizados para treinar os modelos de IA

Outro desafio significativo diz respeito à interpretabilidade dos resultados e à transparência nas decisões clínicas assistidas por IA. À medida que os sistemas se tornam mais complexos, compreender como eles chegam a determinadas conclusões se torna uma tarefa desafiadora.

A interpretabilidade é crucial, especialmente em casos de decisões clínicas, onde é essencial que os médicos entendam e justifiquem as recomendações fornecidas pela IA. Além disso, a privacidade e a segurança dos dados do paciente são preocupações éticas e legais fundamentais. 

 

Integração da IA e do machine learning no prontuário eletrônico

Uma pesquisa publicada pela MIT Technology Review Insights revelou que 93% dos médicos entrevistados perceberam uma melhoria na velocidade e precisão dos dados dos pacientes com a implementação de sistemas de IA. Além disso, 78% dos profissionais relataram um melhor fluxo de trabalho em seus consultórios.

A integração da IA e do Machine Learning no prontuário eletrônico, dessa forma, tornou-se ainda mais relevante, sobretudo neste período pós-pandemia. A crise sanitária acelerou a digitalização do setor de saúde, levando hospitais e médicos a adotarem tecnologias para garantir atendimentos mais seguros e precisos.

A digitalização do prontuário ainda permite que todo o conteúdo relativo ao paciente, como receitas, histórico e informações financeiras e administrativas, esteja disponível de forma eletrônica. Essa transformação digital do consultório médico utiliza a IA para análise e interpretação dos dados clínicos.

Futuro da IA e do machine learning no prontuário eletrônico com PEP MV

No futuro, a integração da IA e do Machine Learning ao prontuário eletrônico trará uma revolução na forma como profissionais de saúde lidam com os dados. Com o PEP MV, é possível obter resultados concretos, como um faturamento até 70% mais rápido.

Oferecendo uma plataforma robusta e inteligente para armazenar, a solução tem como missão analisar e interpretar dados médicos. Essa integração possibilita uma gestão mais eficiente do fluxo de trabalho e uma tomada de decisão clínica mais precisa.

A MV promove soluções para infraestrutura que buscam fortalecer o desenvolvimento de tecnologias inovadoras, ao impulsionar a evolução do setor de saúde.

Se você está em busca de soluções de infraestrutura, conheça tudo o que a MV tem a oferecer e aproveite essa oportunidade para impulsionar a eficiência e a qualidade do atendimento clínico!

;